De acordo com a evolução epidemiológica no nosso país, a Associação Escola 31 de Janeiro acha relevante comunicar à sua comunidade escolar as informações e recomendações abaixo enunciadas:

  • 1 – Como é do conhecimento público, os alunos não vacinados, sobretudo os do 1º ciclo (sem uso de máscara obrigatório) e os do 2º ciclo (com uso obrigatório de máscara no interior dos edifícios mas com possibilidade de a dispensar no exterior), poderão estar em situação de maior risco, uma vez que não existe qualquer barreira farmacológica (vacina).
  • 2- De forma a impedir que as situações de risco se concretizem, é importante o cumprimento das regras e normas da DGS, assim como aquelas que propomos para comportamentos inseguros na escola e fora dela, assim como a reafirmação da importância da existência de uma relação leal e cúmplice entre todos. Só com estas boas práticas e o bom senso é que conseguimos prevenir situações de risco.
  • 3- Não podemos banalizar o isolamento de alunos em casa. Em isolamento, o aluno perde aulas presenciais e tempo com os amigos. A prevenção deve ser feita de forma a se evitar ao máximo que os alunos tenham de ir para casa.
  • 4- Assim, a Direção Pedagógica da Associação Escola 31 de Janeiro, solicita, uma vez mais, que as seguintes recomendações sejam seguidas de forma muito estrita:
  • a) em caso de aparecimento de qualquer tipo de sintoma, mesmo que aparentemente diferente dos que nos habituámos a identificar ( risco de novas variantes) deve levar a que o aluno não venha à escola e esta seja informada da situação através de educadora, professora titular ou DT (conforme o caso). Todas as informações relativas aos grupos/turma serão dadas pelas/os mesmas responsáveis: Educadoras, Professoras Titulares e DTs, de forma a aproximar e a agilizar todas as partes decisivas nestes procedimentos;
  • b) aluno que se sinta mal na escola, com qualquer tipo de sintoma, implicará o contacto da/o EE para o retirar, o qual contactará, preferencialmente, o SNS 24, ou tratará com o médico pediatra que acompanha a criança ou jovem;
  • c) o regresso à escola dos alunos referidos nas alíneas anteriores implicará a entrega de documento médico de autorização, teste certificado ou pcr negativos. Alunos que faltem à escola sem explicação e com desconhecimento da educadora, professora titular ou DT terão, para regressar, que apresentar um dos documentos referidos atrás; 
  • d) alunos que faltem à escola com aviso prévio de viagem, consulta médica, participação em atividades desportivas de competição, culturais ou lúdicas, ou em qualquer outra situação que implique a sua ausência, justificarão a falta, comprovando as razões que a originaram e de que tinham dado conhecimento prévio;
  • e) situações de urgência comprovadas que não do foro médico, que nada tenham a ver com os casos referidos em a) e b), não necessitarão de qualquer justificação para além ou da obtida pelas famílias ou, caso seja público, pelo reconhecimento da sua educadora, professora titular ou DT.
  • 5 – Recomenda-se fortemente o uso de máscara no interior da sala de aula pelos alunos do 1º Ciclo (já exposta na norma da DGS para escolas), sendo a mesma dispensada no recreio.
  • 6 – Recomenda-se vigilância na higiene das máscaras usadas pelos alunos, nomeadamente sobre as máscaras de pano, não deixando, de forma alguma que ultrapassem em uso, o número de vezes que está recomendado pelas autoridades de saúde.
  • 7 – Os alunos devem desinfetar e lavar as mãos com regularidade, na escola e em casa; os não vacinados não devem ser levados a espaços de convívio social (cafés, centros comerciais, eventos de massas, festas de anos de outros núcleos familiares, etc), muito menos sem uso de máscara, por risco acrescido de contágio face à atual situação da pandemia.
  • 8 – Na escola, os alunos devem respeitar as regras da sua situação em bolha, de forma a não se misturarem com alunos que não pertencem à sua bolha.
  • 9 – Nas atividades de natação serão sempre ser montadas as pistas respetivas, de forma a haver separação dos alunos.  
  • 10 – É proibido o contacto direto em karaté e futebol e, no primeiro caso, obrigatório o respeito pela distância mínima de dois metros entre os praticantes, quer no ginásio, quer no exterior, devendo ser privilegiadas as aulas no exterior.
  • 11- As salas estarão sempre arejadas, como, aliás, tem sido, até agora, uma boa prática.
  • 12 – A entrega e receção dos alunos pelos seus EEs e familiares responsáveis, deve ser sempre feita com máscara, não esquecendo que os alunos da Pré-Escolar e dos 1º e 2º Ciclos não estão vacinados. Quem espera pelos alunos deve guardar a distância, afastando-se do portão até ao momento em que a criança lhe é entregue.
  • 13 – Quem frequenta clubes, escuteiros, etc, deve comunicar-lhes que, caso haja algum contacto de risco nessa instituição, a mesma, quando rastreada pela autoridade de saúde local, deve indicar no formulário obrigatório, qual a escola que a criança frequenta, neste caso a Associação Escola 31 de Janeiro.
  • 14 – O regresso de alunos que foram colocados em isolamento deve respeitar sempre as indicações dadas pelas autoridades de saúde. Em situação alguma, por muito injusta que nos pareça a decisão, a escola pode deixar de a seguir.

O calendário escolar é aquele definido no início do ano letivo.

Existe alteração relativa ao início do 2º Período mas aguardamos que a mesma nos seja comunicada oficialmente pelo ME. Agiremos em função do que ali vier decidido, devendo as famílias e por prevenção, garantir que as suas crianças e jovens poderão ter que ficar em casa até dia 10 de janeiro. O resultado das avaliações do Ensino Básico será divulgado no final do 1º período, a exemplo dos anos anteriores, em data a  divulgar mais perto do final da data prevista para a interrupção letiva.

Terá sempre que se aguardar com calma, de forma ponderada e previsível o que vai sendo possível, para que a escola sirva a sua principal função: ensinar e educar e que seja ao mesmo tempo um espaço seguro e feliz para todos os membros da Comunidade Escolar, nomeada e principalmente para as crianças e jovens que a frequentam.

Obrigado e que tudo seja feito em defesa das nossas queridas e queridos alunos,


Vitor Rodrigues – Diretor Pedagógico